fbpx

Terapia por Massagem – tratamento de pontos gatilhos (vídeo)

Como aliviar os pontos gatilhos (nódulos de tensão) da musculatura do trapézio superior com a técnica de compressão isquêmica (ou dígito-pressão com o polegar).

O que causa isto?

Para Ruth Werner, autora do livro Guia de Patologia para Massoterapeutas (2005), os pontos de mc3a1-postura Terapia por Massagem - tratamento de pontos gatilhos (vídeo)gatilho são formados em áreas que sofrem quantidades microscópicas de traumatismo em virtude de hábitos posturais, de uma ergonomia precária e de uma movimentação repetitiva. Os pontos de gatilho podem ser também uma complicação de tipos mais padronizados de lesões, quando a pessoa se acomoda à dor e/ou à amplitude limitada de movimento que poderia ser o resultado de um acidente de automóvel, de uma lesão esportiva ou de qualquer outro tipo de dano.

Vários fatores perpetuantes podem fazer com que o ponto-gatilho se reative, segundo Patricia Archer (Massagem Terapêutica Esportiva, 2008), entre eles tratamento inicial incompleto, má nutrição, estresses ocupacionais, doença hipometabólica, desequilíbrios estruturais e problemas psicológicos ou emocionais.

Como tratar

Repare que no vídeo abaixo o terapeuta, ao pressionar um ponto dolorido específico com o polegar, causa uma dor irradiada nas têmporas, na região occipital (parte de trás da nuca) e no maxilar. Muitas cefaléias do tipo tensionais são decorrentes deste estresse muscular, além de outros fatores:

A compressão isquêmica é um método bastante utilizado para o alívio de nódulos de tensão presentes na musculatura que, neste caso, tendem a irradiar dor para regiões distantes.

Nessa técnica, de acordo com Ralph Stephens, autor do livro Massagem Terapêutica na Cadeira   (Editora Manole, 2008), pressiona-se um ponto específico do corpo e mantém-se a pressão por um certo período (por volta de 8 a 12 segundos). Geralmente é realizada com o polegar ou o dedo (por isso o termo “pressão digital”). Entretanto, a pressão pode ser aplicada também com o cotovelo, com a mão fechada de modo relaxado, com a junta dos dedos ou com a eminência tenar. Este procedimento expulsa os fluidos da área sem interferências, causando uma isquemia temporária (por isso o termo “compressão isquêmica”) e abrindo as fibras. O corpo reage a esse movimento enviando mais sangue para a área e causando uma hiperemia reativa (veja definição) na medida em que a pressão é liberada, o que traz oxigênio e nutrientes para a área comprimida e remove os produtos de resíduos metabólicos.

Ao final, alongar o pescoço de forma passiva (com o auxílio do terapeuta) em todas as direções possíveis ajuda a soltar a musculatura e a recuperar a amplitude de movimento original, caso o cliente, em virtude dos nódulos de tensão, esteja com a mobilidade do pescoço restrita.

Dúvidas ou sugestões sobre o texto acima? Deixe o seu comentário.

                                                                                            Rogério Neves

Referências.

  • ARCHER, Patricia A. Massagem Terapêutica Esportiva. Barueri, SP: Manole, 2008. 317 p.
  • STEPHENS, Ralph R. Massagem Terapêutica na Cadeira. Barueri, SP: Manole, 2008. 262 p.
  • Upper Traps Trigger Point – Massage Therapy Lesson, 2007. Disponível em: <http://www.rmtstudents.com//> Acesso em julho de 2015.
  • WERNER, Ruth. Guia de Patologia para Massoterapeutas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. 648 p.

 

 

No Comments