Massagem, dores crônicas e a consciência de si (Parte I)

Técnicas de massoterapia, mescladas com trabalhos de consciência corporal, podem ser importantes aliadas não apenas em relação ao alívio das tensões musculares, mas também em um processo de autoconhecimento pessoal. Nesta 1a parte serão abordados alguns fatores psicossomáticos das dores crônicas.

Nos consultórios de massoterapeutas, fisioterapeutas e terapeutas corporais diversos, queixas sobre dores representam a quase totalidade dos atendimentos. Dores nos ombros, lombalgias, avaliação posturaltorcicolos, restrições musculares entre as escápulas fazem parte do dia a dia da clientela destes profissionais. Em muitos casos, essas tensões são atribuídas a fatores essencialmente mecânicos:
ergonomia física disfuncional no ambiente de trabalho, hábitos posturais nocivos, movimentos repetitivos, entre outros. Entretanto, existem outros aspectos subjetivos e internos em cada um de nós que possuem um papel fundamental na origem e perpetuação de padrões de tensão muscular, padrões estes provenientes de desequilíbrios em nosso organismo.

Reich e o fluxo da energia vital

Wilhelm Reich, médico e psicanalista austríaco nascido no final do século XIX (1897-1957), foi discípulo de Sigmund Freud, criador da psicanálise moderna. Reich revolucionou a psicologia contemporânea na época ao afirmar que as neuroses e os problemas psíquicos não se manifestam apenas na mente (como durante muito tempo se acreditou e ainda se acredita em algumas correntes), mas em todo o corpo.

Wilhelm_Reich_in_his_mid-twentiesDe acordo com Reich, nossos pensamentos, sentimentos (e, consequentemente, comportamentos) afetam diretamente nossa estrutura corporal, respiração e postura física. Uma pessoa que passou por uma perda traumática (por exemplo) e não consegue lidar com o luto e o sentimento de tristeza, com o passar do tempo terá a sua energia vital comprometida, principalmente na região do tórax. Sua respiração tenderá a ser curta e superficial, como meio de camuflar a raiva ou tristeza internalizada.

Esta energia corporal (chamada de bioenergia ou energia orgônica por Reich) possui vários nomes, a depender da cultura local. No Japão, é chamada de Ki; na China (Qi ou Chi); na Índia (Prana). O bloqueio deste fluxo energético acaba restringindo a circulação do mesmo de forma uniforme em todo o corpo, resultando em uma série de males fisiológicos: problemas circulatórios e linfáticos, pressão arterial alta, taquicardias, tendinites, entre outros… além de tensões crônicas que acabam desenvolvendo as chamadas ‘couraças musculares’.

Couraça muscular, emoções e respiração

Couraça Muscular, segundo Reich, é uma corporificação das características comportamentais e emocionais de um indivíduo que, com o passar do tempo, vão se cristalizando e modulando sua estrutura muscular e corporal. São tensões e encurtamentos musculares que vão se formando mediante a circulação precária da energia vital e circulatória, e por crenças e questões emocionais como medo, raiva, tristeza… além de bloqueios neuróticos diversos.

As tensões musculares crônicas, para Reich, são defesas psicossomáticas que se manifestam em
nosso corpo e impedem o fluxo da energia, limitando a vivência de emoções fopainrtes e suprimindo a espontaneidade e a livre expressão de sentimentos. Os bebês e as crianças pequenas
são naturalmente espontâneos e felizes. Não ficam com receio de demonstrar quando estão alegres, tristes ou com fome. Essa fluidez do livre expressar se reflete no corpo delas, que é normalmente vibrante, flexível, moldável e livre de tensões. Elas respiram de forma correta pelo diafragma, ao contrário de boa parte dos adultos, que concentram a respiração no tórax.

Com o passar do tempo, mediante as pressões paraentais (familiares) e da sociedade em si, muitas vezes repressora e neurótica, os hábitos espontâneos infantis vão sendo substituídos por comportamentos habituais, condicionados e repetitivos. Tudo isto têm um preço: umas das consequências dessa perda de autonomia afetiva, mais a consciência do próprio corpo obtida na tenra infância são o surgimento das contrações ou couraças musculares, que surgirão em diferentes partes do corpo a depender do histórico de vida de cada indivíduo.

Massagem, consciência corporal e sensações parassimpáticas

A massoterapia e terapia manipulativa é uma eficiente maneira de trabalhar e aliviar padrões de tensão e de espasmo muscular, principalmente quando são utilizadas técnicas de origem miofascial e neuromuscular que ajudem a alongar e a flexibilizar a fáscia muscular que esteja encurtada.

myofascial-release2Ao final de uma sessão de massagem, normalmente o cliente apresentará sinais fisiológicos de ‘relaxamento’ que, em termos técnicos, são características do sistema nervoso autônomo parassimpático. Algumas estão listadas abaixo:

  • Respiração lenta e profunda;
  • Extremidades do corpo quentes (principalmente abdômen, mãos e pés);
  • Sensação de sono e relaxamento;
  • Frequência cardíaca lenta, pressão arterial normal;.
  • Ausência de tensão muscular… entre outros.

Todos os ‘ingredientes’ acima são um convite para que se faça um trabalho de consciência corporal a partir daí, por meio do rastreamento e percepção das sensações fisiológicas, além de exercícios de respiração. Tudo isto, claro, com a permissão do cliente.

O corpo é a chave de tudo

A mente e o ego são comprovadamente limitados para assimilar todo o estresse e as dores físicas e psíquicas que o mesmo pode ocasionar. Assimilá-los pelo corpo, por meio da sensopercepção de seus instintos e respostas básicas, é o segredo de tudo.

No próximo capítulo deste texto (parte 2) serão abordadas com mais detalhes algumas técnicas para trabalhar padrões de tensão muscular e afrouxamento da fáscia, como perceber e rastrear as respostas fisiológicas do cliente (simpático x parassimpático), o que é sensopercepção; relacionar tipos de emoções com segmentos corporais… e questões terapêuticas afins.

Dúvidas ou críticas sobre o texto acima? Ou alguma sugestão para o próximo? Deixe o seu comentário.

Rogério Neves.

Referências.

  • http://www.orlanutherapies.com/treatment-myofascial-release.php.
  • https://pt.wikipedia.org/wiki/Wilhelm_Reich.
  • http://www.psychorgone.com/biopathies-psychiatric-orgone-therapy/psychiatric-illness/beyond-conventional-psychotherapy.
  • http://www.libertas.com.br/libertas/reich-crescimento-psicologico/.
  • http://bioenergetica.com.br/site/index.php/biblioteca/artigos/alexander-lowen-e-a-analise-bioenergetica/.